Luiz Scur

Fotógrafo formado pela Omicron Escola de Fotografia em Curitiba-PR e Gestão de Eventos pelo IFPR. 

 

Através da minha fotografia procuro captar imagens que contam um capítulo importante de sua história.  Procuro documentar uma história que não é contada através de palavras, mas de momentos.

 

Fotografia é minha profissão. É meu meio de expressão.
Gosto do movimento e da estática, do olhar marcante e do desfoque.
Gosto da definição do digital e da textura do analógico.

Gosto do momento, do registro, da fotografia.

Luiz Scur

luiz scur.jpg

Once upon a time a little boy was born ...

Mostrando desde cedo que cheguei pra comer! (e chorar, às vezes)

Nunca fui uma criança muito sociável, pouquíssimos amigos humanos e muitos, muitos amigos de quatro patas e alguns com penas. 

Uma das mais especiais foi a Banzé, uma das que tenho mais recordações na memória e a única que está em alguma foto!  

Naquela época não existia live-view nas câmeras e pessoas decapitadas era normal...

Naquela época não existia live-view nas câmeras e pessoas decapitadas era normal...

Nessa época queria ser veterinário, depois pensei em ser biólogo.

Minha adolescência não foi muito diferente da infância, poucos amigos reais e muitos imaginários! 

Terminei o terceiro ano relativamente cedo, aos 16, com expectativas gigantescas de passar na UFPR para Biologia, afinal, depois de um tempo querendo ser veterinário me perguntei: ‘Porque estudar veterinária onde a grande maioria acaba trabalhando somente com animais domésticos se na biologia eu posso trabalhar direta ou indiretamente com uma gama muito maior de seres vivos?’

Passei alguns anos me frustrando por não ter sido aprovado no vestibular.

Aos 18 voltei para Cascavel - PR e não sei muito bem o porquê mas até hoje aquela cidade é para mim algo nostálgico, como se estivesse sempre no passado. 

Fiz ótimas amizades e entrei na área ambiental mas, para meu descontentamento vi que assim como em qualquer área é tudo resolvido na base da politicagem e política é troca de favores e trocas de favores nem sempre envolvem as coisas certas a se fazer. 

Me desiludi radicalmente e me mudei para Curitiba, onde passei no vestibular para o curso de Design Gráfico na UTFPR, escolhi esse curso só porque tinha fotografia no quarto semestre e era algo que eu queria muito, trabalhar com fotografia. No primeiro semestre desse curso fiquei sabendo de um outro curso de fotografia, mas era de manhã, período no qual eu já cursava Design Gráfico e procurei por outros cursos em outros períodos na mesma instituição que estivessem relacionados a fotografia. Foi aí que entrei para o curso de Gestão de Eventos no IFPR e vi que era tão mais empolgante que design que não demorou muito para focar em gestão de eventos e esquecer o design. 

À partir de então comecei a fazer freelas em casamentos e fui me apegando cada vez mais ao mercado fotográfico e aos poucos fui me cercando de pessoas que me ajudaram muito a chegar onde estou.